Informação policial e Bombeiro Militar

Minha foto
Recife, Pernambuco, Brazil
Noticias de qualidade de interesse coletivo ou individual

terça-feira, 3 de março de 2015

PMPE: bandido atira nos PMs de Toritama com munição envenenada, a sorte dos Companheiros e que as munições pinaram! O elemento que é de SP, foi detido a arma apreendida e conduzido a DP local.


PMs de Toritama prenderam foragido da justiça, esse chegou a atirar no efetivo, mas as munições pinaram. Com Leilian Júnior da Costa, foi encontrada a arma com 2 munições pinadas, e para surpresa do efetivo, 2 munições estavam com veneno,  protegidas com pingos de vela no projétil.














PMPE: PMs que não tem dez anos de Corporação, mas serviram as Forças Armadas FFAA, estão colocado seus tempos pra dentro é pedido pra ir pro CFC por antiguidade! Veja o pedido e o que diz a lei.




O QUE DIZ A LEI 6783/74, (ESTATUTOS DOS POLICIAIS MILITARES DE PERNAMBUCO).

Art. 121 - Tempo de efetivo serviço é o espaço de tempo, computado dia a dia, entre a data da inclusão e a data limite estabelecida para contagem ou a data do
desligamento do serviço ativo, mesmo que tal espaço de tempo seja parcelado. 
§ 1º - Será também computado como de efetivo serviço; (§ 1º com redação
dada pela Lei nº 10.455, de 09/07/90)

II - o tempo de serviço prestado às Forças Armadas e Auxiliares.

PMPE: sobre a exigência do nada consta da Corregedoria para o CFS e o CFC!

Cabo sem coturno foi obrigado a trabalhar de tênis!

ALAGOAS



Bolsonaro pode presidir a Comissão de Direitos Humanos?


Carta Capital

Bolsonaro pode presidir a Comissão de Direitos Humanos?

Além de uma candidatura avulsa, o parlamentar do PP terá a chance de ser indicado para uma das 10 vagas a que seu grupo político tem direito
por Wanderley Preite Sobrinho — publicado 03/03/2015 04:04,última modificação 03/03/2015 10:46
bolsonaro

Para Bolsonaro, Comissão de Direitos Humanos é palanque do PT

Depois de perder por apenas um voto a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara em 2014, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) faz os cálculos para saber quais as possibilidades de ficar com o cargo este ano. Embora ameace “montar uma UPP na comissão” e conte com o apoio das “bancadas da bala e da Bíblia”, desta vez o parlamentar enfrentará dificuldades para emplacar uma candidatura avulsa, embora tenha, pelo menos, dez chances de ser indicado sem disputa, duas delas pelo próprio partido.

De acordo com as regras da Casa, a ordem de escolha para a presidência das comissões depende do tamanho dos blocos partidários montados no dia da posse. Quanto maior o bloco, maior o número de comissões.

O PP, sigla de Bolsonaro, está no bloco do PMDB, o maior, formado por 14 partidos e 218 deputados. Por essa razão, ficará com 10 das 23 comissões, seguido pelo bloco liderado pelo PT, com 180 parlamentares e sete comissões. O grupo encabeçado pelo PSDB presidirá cinco e, pelo PDT, uma.

Espera-se que a primeira comissão arrematada pelos peemedebistas seja a de Constituição e Justiça, a mais importante da Casa. O bloco é tão grande que vai escolher a segunda, provavelmente a de Finanças. A terceira, também sob a influência do bloco, foi entregue ao PP, que terá a primeira chance de escolher a Comissão de Direitos Humanos.

Caso o partido de Bolsonaro não faça a escolha, ela poderá ocorrer nas outras seis vezes em que o PMDB tiver essa opção ou na 15ª escolha, também reservada ao PP. A CartaCapital, Bolsonaro afirmou que só reivindicará a presidência em duas hipóteses: se o seu bloco escolher Direitos Humanos e não entregar o posto à bancada da bala – da qual faz parte – ou se o PT, PCdoB ou PSOL ficarem com a comissão.

Erika Kokay
Erika Kokay diz que comissão virou trincheira de fundamentalista

Na primeira hipótese, Bolsonaro poderá disputar contra a escolha do líder de seu bloco. Nesse caso, os membros da comissão (que pode variar de 18 a 66 deputados) votarão entre si. Já a possibilidade de tomar Direitos Humanos do PT, como quase aconteceu no ano passado, é mínima.

De acordo com a Mesa Diretora, Bolsonaro só se candidatou em 2014 porque o então presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), autorizou, ao contrário do atual ocupante do cargo, Eduardo Cunha(PMDB-RJ), que já se manifestou contra a postulação de candidatos de fora do bloco.

Mesmo assim, Bolsonaro deve aludir à sua candidatura passada para arrancar a comissão dos partidos de esquerda. “Nós, da bancada da bala, decidimos que essa comissão é um palanque do PSOL e do PT e vamos tirar o palanque desses caras. Vamos botar uma UPP na Comissão de Direitos Humanos!”

Uma das principais líderes de direitos humanos na Câmara, a petista Erika Kokay (DF) enxerga a questão de outra forma. Diz que a comissão virou uma "trincheira" montada pelo "fundamentalismo" para impedir avanços em favor das minorias. "No final de 2012 e no final do ano passado, não conseguimos avançar porque os fundamentalistas não permitiram", diz ela, que pede aos partidos de esquerda que ocupem todos os espaços que envolvam direitos humanos no Congresso.

Ao lembrar que a missão da comissão é garantir direitos a minorias, Erika cita Nelson Rodrigues, para quem "o absurdo está perdendo a vergonha". E completa: "chega de cinismo, de escárnio. É preciso levar essa comissão a sério."

Tão dizendo que foi Loucademia de Polícia: sete viaturas da PM batem num acidente só, eu pelo o menos só estou vendo três!


Engavetamento envolve 7 carros da Polícia Militar do RJ na Avenida Brasil
Acidente foi na altura de Realengo, na Zona Oeste do Rio. Até as 21h40, não havia informação sobre a causa do acidente.
02/03/2015 21h49 - Atualizado em 02/03/2015 22h01
Do G1 Rio
Pelo menos três carros ficaram presos (Foto: Carlos Eduardo Cardosos / Agência O Dia / Estadão Conteúdo)
Carros ficaram presos no sentido Centro (Foto: Carlos Eduardo Cardoso / Agência O Dia / Estadão Conteúdo)

Sete carros da Polícia Militar do Rio de Janeiro se envolveram em um engavetamento na Avenida Brasil, na altura de Realengo, Zona Oeste do Rio, por volta das 17h desta segunda-feira (2). Segundo o Batalhão de Policiamento de Vias Especiais, até as 21h40 não havia informação sobre as causas do acidente. Não houve feridos.

Segundo a Polícia Militar, os carros são do Batalhão de Angra dos Reis (33º BPM) e iam para o Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças quando houve a batida, no sentido Centro da via.

Soldado da PMPE diz ao UOL: Passei por mulher para entrar na PM

Passei por mulher para entrar na PM'; veja relato de policial transexual

Ricardo Marchesan
Do UOL, em São Paulo 

  • Leo Caldas/UOL

O soldado Marcelo Viana dos Santos, 28, está na Polícia Militar de Pernambuco desde 2010 e atua em Recife. Ele nasceu mulher e descobriu que era transexual aos 21 anos, quando trabalhava como professor de matemática em uma escola municipal. 

Desde então, passou a vestir roupas masculinas, mas não tinha dinheiro para fazer tratamento. Isso só foi possível quando já estava na PM. Assim como outros transexuais, teve medo de ser rejeitado na profissão e optou pela identidade feminina no início. Confira seu relato.

A descoberta da transexualidade

Sempre achei que tinha alguma coisa errada comigo, mas eu não sabia exatamente o que era. Vivia muito deprimido e tinha várias crises existenciais. Pensei que era homossexual e me assumi. Só que, mesmo no meio das lésbicas, eu não me sentia bem. 

Aos 21 anos, entendi porque eu tinha dificuldades tão grandes. Conheci o Leonardo Tenório, que é um transexual de Pernambuco. Quando eu conversei com ele, senti que era realmente naquilo que me encaixava. Mas as cirurgias eram muito caras e eu não teria o apoio dos meus pais, católicos fervorosos.

Eu sabia que tinha de trilhar sozinho. Sabia que tinha de conseguir um emprego um pouco melhor.

Tive muita sorte. Mesmo sem tomar hormônios, já tinha muitas características masculinas, como uma voz um pouco mais grossa. Fui fazendo minha transição com o que eu tinha em mãos, fui vestindo roupas masculinas. Mesmo sem tomar hormônios, ninguém me confundia mais com uma mulher.

A entrada na PM

Desde criança eu queria entrar nas Forças Armadas ou na polícia. Tinha um tio de que eu gostava muito, e ele era policial rodoviário federal. Sempre ia na casa dele e o via fardado. Ele colocava o quepe na minha cabeça e eu saía correndo todo feliz. Queria muito ser igual a ele desde criança.

Quando surgiu o concurso da PM, optei pela identidade feminina para não sofrer nenhum tipo de problema nas provas físicas e até no curso de formação.


Naquela época tinha muito medo de ser excluído da Polícia. Era meu único meio de sustento. Mas meus superiores me orientaram que esse tipo de situação não seria motivo para minha exclusão e deram apoio. Assim que terminou o curso, comecei novamente a montar minha transição.

Leo Caldas/UOL

Na realidade, não era surpresa para ninguém que eu sou transexual. Bastava olhar para mim. Não é algo que dá para esconder. Me passei por mulher, mas era como se eu fosse uma mulher muito estranha. Então, quando eu voltei a vestir roupas masculinas e comecei a tomar hormônios, não foi choque para ninguém.

Meus colegas têm de me respeitar por eu ser PM e por não estar fazendo nada absurdo, nada contrário às normas. E realmente me respeitam. Mas o preconceito é encontrado em qualquer momento, não só no meu trabalho, mas em vários outros âmbitos da minha vida. Ele está enraizado na sociedade, e a PM não é diferente.

Cirurgia

Faz dois anos e meio que fiz a cirurgia. Na época, o centro de referência para pessoas transexuais do Pernambuco estava fechado. Consegui um médico no centro de referência de João Pessoa para me operar. Como não moro lá, tive de pagar o tratamento.

Juntei dinheiro por algum tempo, mas mesmo assim não foi suficiente. Fiz um empréstimo que pago até hoje e termina em novembro. Mas vou precisar fazer outras cirurgias. Essa foi a primeira. Vou ter de pegar outro empréstimo para continuar a transição. Há um trans que já gastou R$ 80 mil com as dele. Espero não ter de gastar isso tudo.

Relação com os pais

Muito tempo se passou desde que me descobri transexual. Sou um homem feito. Já tive bastante tempo. Meus pais perceberam que, se eles continuassem com o preconceito, tudo que conseguiriam seria me afastar. Eles não aceitam completamente, mas me respeitam.

Minha mãe não consegue me chamar de Marcelo. Ela usa palavras neutras para disfarçar. Eu não sei como ela consegue fazer isso o tempo todo. Meu pai me chama no masculino quando minha mãe não está vendo.

Casamento

Conheci minha mulher em maio do ano passado e casei em setembro. Foi bastante rápido. Ela tem uma mente muito aberta e não tive problema algum. Foi amor à primeira vista.

Optei por uma união estável, porque estou trocando meu nome na Justiça. Só quero fazer uma certidão de casamento quando já estiver com o nome trocado.

PMPE: GATI e PB do 11º BPM prende um acusado e apreende certa quantidade de crack.

Por volta das 23h40 desta data (02MAR15), as GGs-5700/5800, juntamente com a PB-5070, ao receber informações de colaboradores chegamos até a RUA ARY PETER, LINHA DO TIRO, para verificar uma denúncia de tráfico de um indivíduo já conhecido deste efetivo. Ao efetuar o cerco, o suspeito percebeu a aproximação do efetivo e correu na tentativa de se evadir, mas não obteve êxito, onde foi capturado, e com o mesmo encontramos 33 pedras de crack pequenas, 08 pedras da mesma droga com 3 gramas cada, 02 bigs de maconha, mais a quantia de R $10,00. Suspeito identificado por, ARLINALDO FERREIRA DA SILVA, vulgo "ALUNGA", NASCIDO EM 13/02/1990. Diante dos fatos, ARLINALDO foi conduzido a Central de Plantões para que fosse tomada as medidas cabíveis. Ocorrência devidamente registrada com M-7554455.




segunda-feira, 2 de março de 2015

O ditado diz que criança não mente! Menina de 8 anos desmente os pais, que acabam presos com 20 pistolas




Menina de 8 anos desmente os pais, que acabam presos com 20 pistolas

Breno Boechat

A sinceridade de uma menina de 8 anos levou à prisão de seus pais e de seu irmão mais velho, de 21 anos, no interior de São Paulo. Na companhia da criança, os três seguiam em direção à capital do estado, quando foram detidos pela Polícia Rodoviária Federal com 20 pistolas de uso restrito e 3.500 munições do calibre 9mm escondidas no carro. Eles foram abordados na Rodovia Régis Bittencourt, próximo à cidade de Barra do Turvo, no interior paulista. Diante dos policiais, a filha mais nova do casal desmentiu os pais, negando a versão criada pelos adultos de que eles seguiam para a cidade de Sete Barras.

Após a declaração da menina, agentes da PRF decidiram fazer uma vistoria mais refinada no carro da família, um Ford Fiesta, e encontraram as armas e munições escondidas nos bancos, no painel e no airbag do veículo e na mochila de um dos detidos. O filho mais velho do casal disse à polícia que era o dono da carga e declarou que as armas vinham do Paraguai com destino a São Paulo.


Família tentava chegar a São Paulo com as armas, que vieram do Paraguai
Família tentava chegar a São Paulo com as armas, que vieram do Paraguai Foto: Divulgação

Os três maiores de idade foram levados à delegacia de Barra do Turvo, onde foram indiciados por porte de arma de uso restrito e ficaram detidos. A menina foi levada a um abrigo pelo Conselho Tutelar e deve ficar por lá até que outro familiar apareça para cuidar dela.


E quem corrompeu o servidor(os políticos), qual seria a punição?

Policiais Bandidos?


Diário de Pernambuco diz: Pacto pela Vida dá sinais de fracasso.


Pacto pela Vida dá sinais de fracasso

O principal programa de combate à criminalidade em Pernambuco dá sinais de fracasso. O Pacto pela Vida, que chegou a servir de modelo de segurança para outros estados do Brasil e recebeu até prêmios internacionais, não tem conseguido mostrar a que veio há quase um ano. O assunto tem causado bastente polêmica entre as autoridades e as pessoas que levam o Pacto nas costas, que são os policiais.

Desde março do ano passado que os índices começaram a aumentar. De lá para cá, nada mudou. As mortes aumentam a cada dia e quem faz a segurança nas ruas, os policiais civis e militares, está prestes a explodir de tanta cobrança. Muitos militares estão sendo retirados de serviços administrativos para fazer policiamento ostensivo nas ruas. “Os policiais estão desmotivados. Os números estão negativos e a violência está cada dia mais alta”, confessou um PM.

Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press

Um total de 324 pessoas foram assassinadas apenas neste mês no estado de Pernambuco Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press/arquivo

Segundo dados da Secretaria de Defesa Social (SDS), Pernambuco registrou no mês de fevereiro pelo menos 324 assassinatos. No mesmo período do ano passado, foram 261 mortes violentas. Isso representa um aumento de 24,1%. Apenas no período de carnaval, entre a 0h da sexta-feira e as 24h da Quarta-feira de Cinzas, foram 83 assassinatos registrados pela SDS. Ainda em fevereiro houve o registro da chacina no município de Poção, no Agreste, quando quatro pessoas morreram.

Em janeiro, o estado já havia registrado altos índices de violência. O aumento foi de 23,99% para cada 100 mil habitantes. No mês inteiro, foram 321 óbitos, enquanto no mesmo período de 2014 foram contados 256.

Histórico

O aumento nos assassinatos registrados em Pernambuco começou em março de 2014 – se agravando, nos meses seguintes, por conta da greve da Polícia Militar em maio. Deste então, o governo do estado não conseguiu mais reduzir as estatísticas. O ano fechou com crescimento de 9,4% de aumento em relação a 2013.

Em oito anos do programa de segurança Pacto pela Vida, criado pelo ex-governador Eduardo Campos, foi a primeira vez que as estatísticas contabilizadas fecharam o período de 12 meses com saldo negativo.

Investimentos

Na tentativa de frear o crescimento da violência no estado, algumas medidas do governo Paulo Câmara foram apresentadas no primeiro dia útil do ano para reestruturar o programa Pacto pela Vida. A cúpula das polícias Civil, Militar e Científica foi trocada. Em janeiro, houve mudança ainda nos comandos dos batalhões da PM e das principais delegacias.

Outra ação foi aumentar o efetivo da PM em Jaboatão dos Guararapes – um dos municípios que teve maior crescimento no número de mortes em 2014. Uma turma de 1,1 mil novos policiais militares está em treinamento para irem à rua a partir do dia 1 de agosto.

Com informações do repórter Raphael Guerra