Informação policial e Bombeiro Militar

Minha foto
Recife, Pernambuco, Brazil
Noticias de qualidade de interesse coletivo ou individual

NÃO DEIXE DE LER ISSO AQUI É MUITO IMPORTANTE

O BLO DO ADEILTON9599 ESTÁ ATUALIZADO, ABAIXO DECISÃO DO TJPE QUE ANULOU PARTE DA PORTARIA DA SDS QUE PERMITIA QUE SOLDADO FOSSE PROMOVIDO A SARGENTO SEM ANTES TER SIDO CABO, PARA VER NOVAS POSTAGEM CLIQUE NO NOME "ADEILTON9599" E NO FINAL DA PÁGINA CLIQUE EM (POSTAGEM MAIS ANTIGA)

domingo, 21 de dezembro de 2014

Utilidade Pública: Mais de 10 mil pessoas por mês não precisarão mais se deslocar até a Jucepe


Mais de 10 mil pessoas por mês não

precisarão mais se deslocar até a Jucepe 

 

A partir desta segunda-feira (22), mais de 10 mil pessoas por mês não precisarão mais ir à Junta Comercial de Pernambuco (Jucepe) no Recife e nos 11 escritórios regionais localizadas no Interior para retirar seus documentos de abertura de empresa. Isso porque, com a entrada em funcionamento de um novo sistema chamado de Via Única, a cópia do cliente só poderá ser retirada por meio da Internet e baixada pelo computador, tablet e smart phones com autenticação digital.

 

O novo sistema também vai reduzir de forma significativa o uso de papel nos processos de registro comercial. Isso porque o empresário que for dar entrada em um processo de abertura, alteração ou extinção de empresas, por exemplo, só precisará entregar uma via dos documentos necessários e não mais quatro, como acontece atualmente nos casos de registro de empresário (antiga firma individual), ou três vias, nos casos das demais categorias empresariais. Quando o processo for deferido, o empresário obterá, por meio do Portal da Jucepe na Internet, a sua via assinada digitalmente.

 

Segundo o presidente da Jucepe, Luís Lima, o sistema Via Única é mais uma etapa do processo de desburocratização e agilização dos serviços que a Autarquia vem implantando com o objetivo de trazer benefícios para os empreendedores e racionalizar os custos operacionais. Os investimentos que vêm sendo realizados nessas áreas já garantiram à Junta pernambucana o primeiro lugar no País no quesito tempo para abrir um negócio, segundo estudo divulgado este mês pelo Instituto Endeavor Brasil, organização de apoio ao empreendedorismo.

 

Com o novo sistema, que entra em funcionamento este mês, a Jucepe conseguirá agilizar ainda mais o trâmite dos processos. Isso porque, de acordo com o presidente, será eliminada a necessidade de uso de etiquetas adesivas que, atualmente, são coladas manualmente para autenticar os documentos. Em vez disso, a via destinada ao cliente, pela Internet, receberá um quadro de informações contendo as assinaturas digitais do secretário geral e do analista que deferiu o processo, além do código de autenticação que permite a qualquer cidadão validar o documento por meio do portal da Jucepe.  O quadro terá ainda a chancela digital e o QR Code, que permitirá a obtenção do documento deferido pela Junta por meio de dispositivos móveis como smart phones e tablets.

 

Para a implantação do sistema foi necessário a aquisição de scanners profissionais, desenvolvimento de software de digitalização, importação e indexação de documentos para as 12 unidades descentralizadas, além de aquisição de certificados digitais para os analistas e vogais.

 

O Via Única vai fazer parte do conjunto de soluções integradas implantados pela Jucepe para simplificar e agilizar o processo de abertura de empresas que tem sido referência para Juntas Comerciais de outros Estados que estão implantando serviços similares. Comitivas do Paraná, Pará e Rio Grande do Sul estiveram no Recife em 2014 para conhecer a experiência da Junta de Pernambuco que lhe garantiu o Prêmio Internacional oferecido pelo Banco Interamericano de Desenviolvimento (BID), entregue em janeiro deste ano.


84CCF2E7-0839-46EC-A386-D59B44C18F25

Sobre o CFSd na PMPE, Paulo Câmara diz que não vai mais chamar os aprovados do último concurso de 2009. O Governador eleito disse: “Se não chegaram a ser chamados para os testes, não dá tempo para fazer os testes e concluir o concurso até fevereiro. Tudo que foi possível fazer para aproveitar o máximo de classificados neste concurso, dentro do prazo que nós tínhamos, está sendo feito. Temos uma expectativa de chamar esse ano algo em torno de 2 mil novos PMs para serem incluídos”


Governo deve não convocar mais aprovados em concurso da PM






Publicado por Daniel Leite, em 20.12.2014 às 15:11





Na sequência do primeiro encontro com os novos secretários, neste sábado (20), o governador eleito Paulo Câmara (PSB) comentou a situação dos aprovados no concurso da Polícia Militar que ainda aguardam a convocação desde 2009. O socialista argumentou que aqueles que não foram convocados para fazer os testes físicos não deverão mais ser chamados.
Segundo o socialista, o governo não vai conseguir aproveitar todos os aprovados antes do vencimento do concurso, em fevereiro de 2015. “Se não chegaram a ser chamados para os testes, não dá tempo para fazer os testes e concluir o concurso até fevereiro. Tudo que foi possível fazer para aproveitar o máximo de classificados neste concurso, dentro do prazo que nós tínhamos, está sendo feito. Temos uma expectativa de chamar esse ano algo em torno de 2 mil novos PMs para serem incluídos”, explicou.
Câmara lamentou a impossibilidade de incorporar todos os aprovados, mas garantiu a realização de novos concursos em seu governo. “Não dá para chamar todos os classificados. Não dá porque não teve tempo hábil para isso. Agora, uma área como essa, eu posso afirmar aqui claramente para vocês que tão logo se vença esse concurso, a gente já vai dar início aos preparativos para ter outro”, frisou.
No mês de novembro deste ano, o governo divulgou uma lista com 3.500 aprovados na primeira etapa do concurso, realizado em 2009. Os melhores colocados passaram para a segunda fase da seleção, iniciada no dia 4 de dezembro, com teste psicológico. Um grupo de aprovados que ainda aguarda a convocação realizou uma manifestação no dia da diplomação dos eleitos, realizada nesta sexta-feira (19) no Centro de Convenções.
Fonte: Folha de Pernambuco 

Policial se recusa a prender mulher que roubou comida para os filhos e a presenteia com dois caminhões de comida


Foto: Daily Mail/Reprodução

Em um momento de tensão entre policiais brancos e cidadãos negros nos EUA, um episódio chamou a atenção do país ianque. Em vez de prender Helen Johnson por roubar cinco ovos, em 5 de dezembro, para alimentar a sua família passando necessidades, o policial William Stacy pagou a cartela de ovos e liberou a mulher em um supermercado do Alabama, segundo o jornal britânico Daily Mail.

O abraço entre os dois, filmado pelo celular de um cidadão comum, viralizou por todo os Estados Unidos. Mas a história ganhou contornos ainda mais sensacionais no dia 11 de dezembro: Stacy chegou com outros colegas na casa da mulher de 47 anos com dois caminhões de comida para alimentar a família de Helen. Ela vive com duas filhas, sobrinha e dois netos e a família é pobre.

Por duas vezes, Stacy fugiu ao comportamento esperado de um policial. Primeiro, ao se recusar a dar voz de prisão à mulher. Ele pagou as compras e a fez jurar que nunca mais roubaria comida. Depois, ao fazer uma doação enorme para a família Johnson e ajudar a aliviar a situação deles. O Natal de 2014 será inesquecível para essas pessoas, né? Diga nos comentários o que achou da atitude do policial!  


Fonte: Br notícias 

Empresário é preso por assediar policial feminina, ele usava sua influência alegando que deixaria que a policial fosse transferida para outra cidade. A policial gravou a conversa e deu voz de prisão a ele, que por sua vez tentou tomar a arma da policial onde acabou sendo preso. Na gravação é citado Deputado/delegado, secretário de segurança e etc.


Gravação revela motivo de prisão de empresário ligado a deputado


18 de Dezembro de 2014 às 20h24min

CGN teve acesso exclusivo à gravação em que Josimar Távora assedia uma policial e fala de influência com políticos...

Paraná | Neo Gonçalves | CGN
O empresário de Foz do Iguaçu, membro do Partido Solidariedade, Josimar Távora, foi preso na sexta-feira (12) em Medianeira. Ele é ligado ao deputado eleito Felipe Francischini e diz ter sido o coordenador da campanha dele na região.
Távora teria sido preso em um posto de combustíveis ao tentar roubar a arma de uma policial civil que tentou prende-lo por assédio. O homem assediava a policial há algum tempo, propondo sexo com ela para que não fosse transferida a uma cidade pequena.
CGN teve acesso exclusivo à gravação que culminou na prisão. E um dos trechos da conversa com a policial ele faz a proposta, primeiro afirmando que nos quatro anos do Governo Beto Richa, ela não será transferida.
Josimar Távora: Até quando o Francischini for secretário, mesmo se ele não fosse, durante os quatro anos do Beto, você vai estar sobre minha proteção...
Em outra parte ele diz que por apenas 20 minutos no motel, ela ficará na cidade.
Josimar: Viu, só 20 minutos o que eu tenho que fazer, eu faço. Tá?
Policial Civil: ‘Tá’, eu vou.  [...] Vinte minutos de sexo vai valer a minha portaria?
Josimar: Vinte minutos! Vamos aqui pertinho.
Policial: É que agora eu não posso mesmo. Você sabe que eu iria...
Josimar: Vinte minutinhos... Nem vinte minutos? [...] Entendeu? A gente está aqui, já está resolvido...
Na gravação, o empresário explica como pode garantir que a policial não será transferida, pois possui forte influência, citando o nome de Felipe Francischini, entre outros.
Josimar: Qual é a pessoa mais próxima que organizou tudo nessa campanha? Fui eu. Se a Doutora Tani [delegada] tivesse feito o que ela tinha prometido para nós, eu nem ia conversar com você, eu ia conversar direto com ela. Entendeu? Eu queria falar tudo para você, só que eu não vou falar tudo para você, resolver o seu problema e depois - aquilo que você falou - você não olha mais para minha cara. Só que você sabe que eu sei de tudo, entendeu? Toda a situação, tudo o que ocorreu, não sei a metade, eu sei tudo. Só para você ter uma ideia do naipe da conversa dos ‘cara’. Só para você ter uma ideia eu vou mostrar aqui umas gravações. Só para você ter uma ideia dos naipes das conversas. Nós recuperamos 300 mil da campanha, muitos ‘passou’ a perna em nós, entendeu? (Mostrando imagens para ela) Essa aqui é minha loja. Esse aqui é vereador de Céu Azul, Brizolla. Esse cara é Secretário de Santa Helena. Aqui ‘ó’. Para todo mundo sou representante, sou eu quem mando em tudo. Só para você ter uma ideia.
Deputado eleito Francischini Filho (em uma gravação): Aí Josimar, tudo bom? Já passou em alguns municípios daí, já ligou para alguns daqueles que traíram a gente para pegar de volta a ‘estrutura’? Quero ver os caras sambando agora.
Policial: Quem que é esse?
Josimar: Esse é o deputado, é o filho do Francischini.
Policial: E esse aqui?
Josimar: Aqui uma foto dele aqui ‘ó’.
[Gravação é colocada mais uma vez]
Deputado eleito Francischini Filho (na gravação):Aí Jocimar, tudo bom? Já passou em alguns Municípios daí, já ligou para alguns daqueles que traíram a gente para pegar de volta a estrutura? Quero ver os caras sambando agora.
Josimar: Só vim dar o recado, depois se não devolver o dinheiro é com ele, daí.
Deputado eleito Francischini Filho (na gravação):Pode vir, Jocimar, só de manhã eu tenho compromisso na Assembleia, mas à tarde está um pouco mais liberado e especialmente à noite também. Só me liga antes daí.
Josimar: ‘Tá’ vendo? Só pra você entender as conversas.
Deputado eleito Francischini Filho (na gravação): Cara, o que teve de gente aqui. As minhas postagens no Facebook antes da eleição dava 100 curtir, 150 curtir... Vai acabar a eleição, qualquer coisa que eu posto dá 800 curtir, mil curtir... (Risada) Povo não tem ‘simancol’ mesmo. Falei para vocês... os prefeitos todos... não iam mandar ninguém embora que me ajudou, agora eles estão tudo precisando... agora é a deles que começa. Agora os foguetes apontado para os do prefeitos aí, né gente (risada).
Josimar: Agora, vou falar de um cara que a Tani indicou.
Indicado Tani (em gravação): Ö, Jocimar, você vai rodar um roteiro aí e já depois vou soltar vocês para ver uns ‘fiasqueiros’ lá de Matelândia, ‘tá’ uma vergonha. Assis Chateubriand também, Cafelândia... outra lá é Palotina também tinha que ‘tá’ com a gente... Teve um monte de município aí, que a gente vai rever. O Brizolla arrebentou, esse foi muito bom. Em Medianeira, a piazada foi bem também. Foz foi muito bom, cidade que é difícil fazer voto. Então, bola para frente agora. Passar a semana aí e vamos marcar o roteiro.
Josimar: Viu...
Policial: Ai, ‘tá’...
Josimar: Só para você ter uma ideia como está lá a coisa, então eu não posso falar pra você. Vou falar depois que eu sei que eu tenho intimidade com você, que eu sei que...
Policial: Tá, mas falando de mim... Eu quero saber de mim. Quem que quer me prejudicar? Por quê?
Josimar: Eu não posso falar...
Policial: Como que eu vou me defender? Como que eu vou saber que você está me defendendo? Mas como que eu vou saber?!
Josimar: Você viu o jeito da conversa lá. É só na segunda-feira, eu falar Felipe [Francischini], essa aqui eu não quero que mexe’. Pronto... Entendeu? Não tem ninguém que vai mexer com você. Nem o delegado-geral, ninguém.
Policial: Mas você quer sair e... é uma vez só?
Josimar: Não, vou sair uma vez com você, mas depois, se der, vamos sair mais vezes, entendeu? Eu vou ter conversar com você... de repente você precisa de mim em outra situação, né? De repente você precisa... um cara está te incomodando, entendeu? E é rápido o meu negócio. É só uma ‘meia horinha’ só.
Policial: É o único jeito?
Josimar: Único jeito... tá?

Prefeito de São Paulo diz que o Modelo brasileiro de segurança pública está esgotado e sugere a Desmilitarização e Municipalização das Polícias!


Modelo brasileiro de segurança pública está esgotado, afirma Haddad.

O atual modelo brasileiro de segurança pública está esgotado e é oportuno um debate sobre a municipalização e desmilitarização da polícia. A avaliação é do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, durante entrevista nesta segunda-feira (15) no programa "Gabinete Aberto", criado em sua gestão e transmitido ao vivo desde o Centro Cultural São Paulo.

Segundo o prefeito, é preciso repensar a questão da segurança pública, que tradicionalmente é tratada como um assunto do Estado e fica a cargo de uma polícia militar. "Acho que esses dois pilares estão atrelados a uma visão de Estado repressiva e política." Para ele, o Brasil criou um modelo que pensa a segurança pública a partir da segurança política.

"A polícia foi pensada como agentes de repressão aos descontentes. Então, a repressão sempre teve uma natureza política. Não vejo mais condições de o Brasil manter o tema da segurança no lugar em que ele se encontra. Esse lugar está errado e não responde mais aos desafios que estão colocados para os gestores".

Continua no link...


http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/12/1562831-modelo-brasileiro-de-seguranca-publica-esta-esgotado-afirma-haddad.shtml

PMs da Bahia prende 3 elementos com três pistolas veja pela numeração se foi roubada de algum Policial. As pistolas foram Uma .40 uma 380 e uma 45. Repassando!


Acabamos de efetuar uma prisao em flagrante em sao sebastiao, R9.0082 GU sgt pm Jaildo,sd pm Tiago e sd pm Lopes
Inclusive esse jackson eh integrante do PCC e alem de comandar o trafico aki na regiao é suspeito de cometer um homicidio ontem aki com a .45
Olha a numeraçao da .40 p ver se eh de algum PM
Uma pistola .40 uma 380 e uma 45.
Repassando!
Jackson dos santos de Souza, camisa listrada
Emerson oliveira de Melo Junior, camisa verde 
Felipe dos santos de Abreu, camisa gola polo branca.













Vamos ajudar a Companheira da PMPE.


Repassando novamente...
Mto importante!!!!!
Pessoal somos irmãos, uma grande família, por isso venho pedir ajuda para começar uma campanha em cada quartel, que possa ser feita no mês de dezembro para arrecadarmos um valor para ajudar a nossa irmã Pollyana, pois ela precisa de alguns equipamentos. Que possamos dar um mínimo de conforto a ela.
Somos mais de 20 mil policiais, se cada um doar um real da sua conta em débito automático fará muita diferença.
Poderia ser qualquer um de nós.
Que DEUS nos abençoe cada vez mais.
AMÉM!
Pollyana Maria da Silva
Banco Santander
Conta Poupança
Ag: 4021

PMPE: os Cabos de Caruaru informam:

Paz do Senhor Jesus para todos! 
Reunião para todos os cabos que tem interesse de entrar com ação judicial para ser matriculado no curso de sargento.  Local: Caruaru - tiro de guerra próximo da estação ferroviária dia 23/12/2014 às 20:00h próxima terça.
Munidos de : cópias da identidade, comprovante de residência e certificado do curso de cb. e quem não deu os 100 reais trazer. 

sábado, 20 de dezembro de 2014

Presos rende o policial, fogem com viatura e capota em seguida!

Roraima 
Presos capotam carro da polícia após fugirem de cadeia no norte do Paraná

Fuga aconteceu na noite de sexta-feira (19), na delegacia de Congonhinhas. De acordo com a polícia, nove presos fugiram após render um agente.
20/12/2014 09h47 - Atualizado em 20/12/2014 11h32
Do G1 PR
Presos capotaram carro da Polícia Civil durante a fuga da cadeia de Congonhinhas (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Presos capotaram carro da Polícia Civil durante a
fuga da cadeia de Congonhinhas (Foto: Divulgação/
Polícia Civil)

Nove presos fugiram da cadeia de Congonhinhas, no norte do Paraná, na noite de sexta-feira (19). Segundo a Polícia Civil, os detentos renderam e roubaram a arma de um policial. Em seguida, eles usaram um carro da polícia para fugir. Durante a fuga, os detentos capotaram o veículo na PR-435, entre Congonhinhas e Ibaiti.

Ainda conforme a polícia, logo após o acidente, os fugitivos renderam um motorista e roubaram uma caminhonete. O veículo foi abandonado entre Ibaiti e Figueira, também no norte do estado, após um novo acidente. A suspeita é que eles tenham fugido a pé a partir deste trecho.

As polícias Civil e Militar realizam buscas em várias regiões para localizar os foragidos. Até as 9h30 deste sábado (20), ninguém tinha sido recapturado.

De acordo com a Polícia Civil, a ala onde estavam os foragidos foi projetada para abrigar 12 presos, mas contava com 16 na hora da fuga.

Policiais militares acusados de homicídios são presos nesse sábado.


Policiais militares envolvidos em homicídios são presos em Curitiba

Três policiais militares foram presos no início da manhã deste sábado (20) por envolvimento em dois crimes de homicídio e em uma chacina ocorridos em Curitiba nos últimos meses. Eles tiveram a prisão temporária (30 dias) decretada. Outros dois estão foragidos. As investigações foram conduzidas pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e as prisões foram acompanhadas pela Corregedoria da Polícia Militar, envolvendo 70 policiais, entre civis e militares. 
Os cinco PMs presos são suspeitos de cobrar propina, o chamado “pedágio”, de traficantes de drogas. Investigações da DHPP apontaram a participação dos suspeitos presos em três situações distintas. As investigações caminhavam paralelamente dentro da DHPP e os exames de balística, produzidos pelo Instituto de Criminalística, demonstraram que dez mortes teriam sido causadas por tiros de uma mesma pistola calibre 380. 
“Foi uma operação muito parecida com a força-tarefa entre Secretaria da Segurança Pública e Grupo de Atuação de Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrada também nesta semana. A prioridade é limpar a polícia para que os bons policiais, que são a maioria, voltem a trabalhar de forma muito tranquila”, afirmou o secretário da Segurança Pública, Fernando Francischini. 
O trabalho de investigação ocorreu de forma integrada entre as polícias Civil e Militar. “Conseguimos chegar nesse resultado muito pelo apoio que tivemos da PM. Destaco também o desempenho dos delegados responsáveis por cada caso, que conduziram as investigações, e o trabalho conjunto de toda a equipe da DHPP que possibilitou de forma rápida identificar a autoria de todos esses homicídios que eram relacionados entre si”, acrescentou a delegada Maritza Haisi, até então titular da DHPP e que agora assume a Divisão Policial da Capital (DPCap). 
Também presente durante coletiva de imprensa concedida na manhã deste sábado, o subcomandante-geral da Polícia Militar, coronel Nerino Mariano de Brito, reforçou que a instituição não tolera desvios de conduta na tropa. “Temos diversos mecanismos de depuração da nossa tropa a fim de que permaneçam na corporação apenas os policiais honrados. Contribuímos do começo ao fim com as investigações”, disse ele. 
MORTES – A primeira situação ocorreu em 28 de janeiro, com a morte de Anderson Marques Colaço, 34 anos, na Rua João Antonio Culpi, 30, no local conhecido como Beco da Pluma, bairro Pinheirinho, na capital, investigada pelo delegado da DHPP Cristiano Quintas. 
No dia 31 de maio, uma chacina deixou cinco pessoas mortas no bairro Xaxim, sendo quatro homens e uma mulher. O caso está sendo acompanhado pelo delegado Danilo Zarlenga. 
E, no dia 12 de junho, o corpo de Tiago Rocha, de 25 anos, foi encontrado no Alto Boqueirão, de acordo com o delegado Fábio Amaro, que preside esse inquérito. As investigações prosseguem para apurar a participação de outros envolvidos nos crimes mencionados.
Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em: www.pr.gov.br e www.facebook.com/governopr
© 1997 - Secretaria de Estado da Comunicação Social - SECS

População arrecada dinheiro para abastecer as viaturas da polícia!



População arrecada dinheiro para abastecer carros de polícia no Piauí

Moradores de José de Freitas se unem para abastecer veículos da polícia. Em uma semana foram arrecadados R$ 300 e nenhum crime foi registrado.
20/12/2014 16h17 - Atualizado em 20/12/2014 16h17
Do G1 PI
Cansados de ver viaturas paradas por falta de combustível, moradores José de Freitas, a 48 km de Teresina, decidiram agir. Eles arrecadaram dinheiro, com o objetivo de auxiliar no abastecimento dos veículos das polícias. A ideia é dar o aporte necessário para que as rondas policiais reduzam os crimes. De acordo com o delegado Luciano Alcântara, do 17º Distrito Policial, em uma semana foram arrecadados R$ 300.

“Nós tivemos uma redução muito grande de combustíveis, o que prejudicou na hora de fazer rondas e atender aos chamados. Então eu fui a uma rádio local e informei que iria pagar o combustível do meu próprio salário, mas a população se mobilizou e decidiu arrecadar dinheiro”, contou.

Segundo estatísticas da Polícia Civil da cidade, crimes de furto e roubo diminuíram depois da iniciativa. “A redução nos crimes é resultado das rondas constantes feitas pelas viaturas. Iremos intensificar os trabalhos de investigação e de prisões daquelas pessoas que cometerem crimes”, afirmou o delegado.

Luciano Alcântara, disse ainda que em uma semana, a polícia não registrou nenhuma ocorrência. “Isso só prova a eficácia do policiamento ostensivo e de investigação. Com a ajuda da população, agora temos combustível para realizar blitzes móveis em horários e locais diferentes”, relatou

Justiça ordena soltura de dois coronéis envolvidos em esquema de corrupção na PM


Segundo investigações, policiais participaram de sequestro de traficante na Ilha do Governador

ADRIANA CRUZ E  VANIA CUNHA

Rio - Oficiais que se envolveram em dois dos maiores escândalos de corrupção na PM este ano ganharam nesta sexta-feira o direito de responder aos processos em liberdade. A juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, da Auditoria de Justiça Militar, decidiu libertar quatro dos 15 acusados de corrupção no 17ª BPM (Ilha do Governador). Entre eles, estão o coronel Dayzer Corpas, o subtenente José Luiz Ferreira da Penha, o sargento Márcio da Silva Figueiredo e o cabo Luis Carlos da Penha Júnior.  

Juíza mandou soltar Dayzer Corpas, acusado de envolvimento em esquema de corrupção no Batalhão da Ilha
Foto:   Reprodução

Já o desembargador Paulo de Oliveira Lonzellotti Baldez, da 5ª Câmara Criminal, concedeu alvará de soltura para o coronel Alexandre Fontenelle e mais 26 réus, dos quais 24 militares, no processo sobre formação de quadrilha. “A pena varia de 1 a três anos. Com o agravante, pode ser aumentada e chegar a quatro anos e oito meses de detenção. Então, como eles têm bons antecedentes, não vão receber pena acima de dois anos. Portanto, a prisão era totalmente ilegal e arbitrária”, afirmou Ubiratan Guedes, advogado de Fontenelle.  

Alexandre Fontenelle foi preso em setembro na operação Amigos S/A, deflagrada pela Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público. Quando era investigado, ocupava cargo estratégico, à frente do Comando de Operações Especiais (COE). Ele é acusado, com outros militares que integravam o 14ºBPM (Bangu), de exigir pagamento de propina de comerciantes, mototaxistas, motoristas e cooperativas de vans, além de empresas transportadoras de cargas na área do batalhão.  

As propinas variavam entre R$ 10 e R$ 11 mil, e eram cobradas diária, semanal ou mensalmente, como garantia de não reprimir qualquer ação criminosa, seja a atuação de mototaxistas, motoristas de vans e Kombis não autorizados, o transporte de cargas em situação irregular ou venda de produtos piratas no comércio popular de Bangu.  

Já Dayzer Corpas foi preso em outubro, acusado por envolvimento no sequestro de traficantes na Ilha do Governador em março. Dois criminosos teriam sido libertados em função de pagamento de R$ 300 mil de propina. A ação dos PMs foi filmada por câmeras da parte externa da Base Aérea do Galeão. A juíza Ana Paula considerou que o grupo pode responder o processo em liberdade. Na decisão, ressaltou que eles sejam escalados apenas para atividades internas administrativas e a critério do comando da corporação. Ela marcou para o dia 13 de janeiro o depoimento de mais uma testemunha do caso.

Beltrame assina contra major Edson 

O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, assinou nesta sexta o Processo Administrativo Disciplinar (PAD) no qual pede a perda de função do major Edson Santos e do tenente Luiz Felipe Medeiros. Beltrame opinou contra a decisão do Conselho de Justificação enviado à Corregedoria da Polícia Militar, que defendia a permanência de major na corporação.  

Agora, a Seção Criminal, do Tribunal de Justiça, vai dar a palavra final sobre o rumo dos oficiais. Santos e Medeiros respondem pelo desaparecimento e morte do pedreiro Amarildo de Souza, em julho do ano passado. No total, são 25 militares que são réus na 35ª Vara Criminal.


Fonte: O Dia